TRIP DE CARNAVAL

Eu não perco tempo!

Tive uma aulinha de como marcar coordenadas no mapa pra ter mais precisão na hora de se locomover, já que as cartas não vem com as coordenadas completas em graus, minutos e segundos… mas dei uma esquecida. O jeito foi fazer força com o cérebro e tentar lembrar como fazia, afinal de contas o tempo tá correndo e só tenho esse finde pra terminar os preparativos. Bem, e não é que deu certo?

Kit marcação de carta: régua, lapiseira, GPS, e o livrinho azul de orientação.
A bússola nessas horas não tem muita utilidade.

Liguei o compu na Al Jazeera Livestream (adoro), enchi minha tacinha de vinho depois de devorar uma bandejinha de japa, dei uma relida no livrinho azul, fiz força na massa cinzenta e reli umas anotações, e quando vi… já estava me lembrando de quantos minutos tem em 1 grau, quantos segundos em 1 minuto e portanto em quantas vezes eu tinha que dividir a latitude e a longitude pra poder marcar no mapa.

Nada como fazer um esforcinho. Conferindo com as coordenadas marcadas como waypoints no tracklog que eu tinha no GPS (gentilmente cedido pelo Tacio Philip), está tudo batendo. Ou seja, se o GPS der tilt e eu me perder, na verdade não estarei perdida, e sim sem GPS.

Reparem nessa imagem à esquerda, que marquei meus próprios pontos – no caso o acampamento Tronqueira, Terreirão e Casa Queimada, além do Pico 2 – todos lugares por onde pretendo passar. Ainda não sei dividir os tais segundos (que não são só 60), então fiz uma marcação aproximada. Mas jogando em cima das altitudes que já existem no mapa, bateu bastate.

Cartografia é bem legal né?

 

div-black

Written by Cissa

Fanatic alpinist, rock climber, and wannabe surfer. Sports and travel content writer and graphic designer in the meantime. Self sponsored, based out of a haul bag.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.