MEDICINA DOS VIAJANTES – SE PREPARANDO PARA VISITAR A ÁFRICA SUB-SAARIANA

Pra quem não está com as vacinas em dia, como era meu caso, a imunização pra uma viajem à África deve começar 6 meses antes da viagem.

 

div-black

 

Marquei minha consulta no Núcleo de Viajantes do Emílio Ribas (gratuita, 1 semana pra conseguir a data), e fui atendida por um médico mais chefe, 1 médica e 1 residente. Uau! Nem parece SUS, mas é. Já tinha utilizado esse serviço antes e continuo só elogios. Avaliaram até meu roteiro, e discursaram extensamente não só sobre as vacinas que eu teria que tomar, mas também sobre cuidados gerais com água e alimentos, já que a África é continente mãe, entre outras coisas, de muitas doenças que tem por aí. Ainda recebi orientação sobre a malária dos infernos que tem por lá, e sobre o uso de Diamox na altitute. Sim, o médico chefe era entendido do assunto!
Além da consulta, ainda é possível pegar os remédios gratuitamente na farmácia – consegui pegar antibiótico (Cipro) e Diasec para possíveis diarréias. Só não peguei o Diamox pois estava em falta, mas é baratinho e em farmácia sai por uns R$ 12.

As vacinas recomendadas foram:
Tétano – Tríplice Viral – Hepatite A – Hepatite B – Febre Tifóide – Febre Amarela

A profilaxia pra malária é um remédio pra ser tomado durante 45 dias, começando 2 dias antes do embarque.
O Diamox foi receitado pra subida do Monte Kenya, pra ser iniciado 1 dia antes da subida, até o dia do cume, já que será uma ascensão muito rápida (3500m em 5 dias).

A maioria dos postos de saúde oferece imunização para moléstias mais comuns, porém os locais mais centrais para as consultas são os Centros de Medicina dos Viajantes do Instituto Emílio Ribas e do Hospital das Clínicas. Os telefones que tem pela internet são todos bem errados, então pra facilitar a vida, anote os contatos e treine a paciência pois eles demoram pra atender. E anote o nome de quem te atendeu pra evitar confusão, pois nas vezes que estive por lá rolou muito desencontro de informação. Ambos ficam perto do Metrô Clínicas. Apenas postos mais avançados oferecem diretamente a carteira amarela de vacinação da febre amarela (que é a internacional), então preste atenção quando for tomar, senão vai ter que fazer uma gambiarra depois em algum posto da ANVISA.

Núcleo de Viajantes – Instituto de Infectologia Emílio Ribas
Telefone: 3896-1400 (ligar de tarde – confirme horário de atendimento pois cada um fala uma coisa)
Av. Doutor Arnaldo, 165

Ambulatório dos Viajantes – Hospital das Clínicas
Telefone: 2661-6392 (ligar até 16h – confirmar horário de atendimento)
Av. Dr. Enéas de Carvalho Aguiar, 255

A maioria das vacinas dá pra tomar na rede pública, com exceção da Hepatite A e Febre Tifóide, e Hepatite B pra quem tem mais de 30 anos. E se prepare, são bem caras. Mas pelo menos você fica com a consciência tranqüila de que num ambiente tão propenso a doenças, você vai evitar ao máximo chegar de volta no Brasil com um “presentinho”.

Também vale visitar o site do CDC americano que é mais atualizado sobre possíveis epidemias que estão acontecendo e pegar mais informações e orientações mais detalhadas.

div-black

Written by Cissa

Fanatic alpinist, rock climber, and wannabe surfer. Sports and travel content writer and graphic designer in the meantime. Self sponsored, based out of a haul bag.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.